terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Igreja organiza protesto durante cerimônia do Oscar 2013 e afirma que “Deus odeia gays”


A cerimônia da maior premiação do cinema mundial foi palco de um protesto promovido pela controversa Igreja Batista de Westboro.
Um grupo de manifestantes tumultuou as redondezas do teatro onde o Oscar era apresentado, com cartazes com frases como “’Christians’ cause fag marriage”, que pode ser traduzida como “Cristãos são a causa do casamento gay”, e “God H8S  Fags”, que traduzida livremente, pode ser compreendida como “Deus odeia viados”.
Steve Drain, um dos manifestantes da Westboro, afirmou que os protestos eram contra a forma que a imprensa divulga as ações dos ativistas gays: “Nós estamos aqui agora no Oscar porque os corretores do poder de Hollywood, e os meios de comunicação em geral, estão numa espécie de mentalidade escravagista para a agenda dos militante gays”. Drain segurava um cartaz em que duas estatuetas do Oscar apareciam em uma posição homoerótica.
Ainda segundo o porta-voz dos manifestantes da Igreja Batista de Westboro, dos filmes indicados ao Oscar, não havia nenhum em especial que teria motivado os protestos: “Eu costumo dizer que o protesto é contra a fluência de plantas daninhas ao longo do tempo. Não é um ano especial, quando a indústria do entretenimento tem todo tipo de estratégia para empurrar a sujeira goela abaixo, mas estamos falando de temas gays e shows de televisão e filmes contrários à ideia de que [a homossexualidade seja] algum tipo de perversão, de algum tipo de pecado”.
Porém, o uso da palavra “fag”, que é uma gíria compreendida como “bicha, viado”, causou consternação em um grupo de pregadores que usavam um megafone citando palavras do Evangelho de João, segundo informações do Huffington Post.
Nabeel e Carol Salman, de Redondo Beach, Califórnia, disseram não concordar com a abordagem ofensiva dos membros da Westboro: “Quando você diz ‘bicha’, que é pejorativo. Isso não é o nosso estilo”, disse Carol Salman, que acrescentou: “Eles estão usando palavras muito duras, com ódio. Jesus nunca veio para o ódio. Ele veio com amor”.
Steve Drain, por sua vez, defendeu o uso do termo “viado” alegando motivos bíblicos: “Vivemos em uma geração de som-byte. Você está indo só para citar cinco palavras que eu digo em seu artigo. “Viado” é uma palavra curta, é impactante, é significativa, e é biblicamente precisa. Uma bicha é um tição. É um pequeno bastão que começa um incêndio… E o que viados fazem é que eles queimam rapidamente, se inflamam rapidamente, eles queimam por um longo tempo. E dizemos que bichas estão alimentando a ira de Deus pela maneira como eles vivem suas vidas. É uma boa metáfora. A metáfora na escritura é realmente um tição, e um agitador e um viado são exatamente a mesma coisa… Mas bicha é uma palavra mais curta para colocar em um cartaz”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+