terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Número de ateus cresce no Brasil e organizações planejam promover debates por um Estado laico “de fato”


O crescimento dos evangélicos não é o único movimento social que vem marcando as transformações no Brasil. O número de ateus também vem crescendo devido ao surgimento de entidades organizadas que reúnem pessoas que não creem em Deus ou qualquer outra entidade religiosa.
Número de ateus cresce no Brasil e organizações planejam promover debates por um Estado laico “de fato”O 2º Encontro Nacional de Ateus foi realizado no último mês de fevereiro, numa parceria entre associações que reúnem ateus e agnósticos. O evento foi realizado simultaneamente em 28 cidades espalhadas em 25 estados, e contou com palestras e transmissão ao vivo das discussões.
Na maior cidade do país, o evento reuniu 750 pessoas, mais que o dobro da primeira edição, segundo informações da BBC Brasil. O evento paulista promoveu discussões sobre a presença do ateísmo na filosofia francesa, além de debates sobre o Estado laico, e contou com a presença de Jefferson Aparecido Dias, procurador regional dos direitos do cidadão.
Dias é conhecido no meio evangélico por ter iniciado um processo contra o pastor Silas Malafaia, acusando-o de homofobia por criticar o uso de símbolos católicos em posições homoeróticas durante a Parada Gay de 2011.
O presidente da Sociedade Racionalista, uma das entidades organizadoras do evento, afirmou que o Encontro surgiu com a proposta de ser uma festa, e logo cresceu: “Num primeiro momento, não estávamos tão interessados em promover discussões mais profundas. Foi uma coisa bem mais informal, no Parque Ibirapuera. Mas ao longo desse ano, alguns temas surgiram com mais força e se tornaram mais relevantes, como a defesa do Estado laico. Vemos a bancada evangélica tentando barrar discussões importantes na nossa sociedade de um ponto de vista religioso e achamos que isso é perigoso”, disse Diego Lakatos.
Já o presidente da ATEA, maior entidade agregadora de ateus do Brasil, Daniel Sottomaior, revelou que o crescimento do movimento ateu no Brasil é uma tentativa de “fazer com que o Brasil, 120 anos depois da proclamação da República, se torne (de fato em) um Estado laico”.
Ele ressalta porém que não é simples reunir ateus numa entidade: “Grande parte dos ateus tem uma independência intelectual tão forte que acaba sendo contraproducente a eles mesmos. Eu entendo que lutar contra o preconceito e a favor da laicidade deveriam ser causas caras não só aos ateus, mas a toda a sociedade”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+