segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Joaquim foi morto e depois jogado em córrego, encontrado em Barretos Sp diz polícia

Para a polícia, o garoto Joaquim Ponte Marques, de três anos, foi morto e depois jogado em um córrego que o levou até o Rio Pardo, em Barretos. O corpo do garoto foi encontrado neste domingo (10) após cinco dias do desaparecimento.
No instituto de criminalística, a mãe, Natália Mingoni Ponte, e o pai biológico fizeram o reconhecimento do filho pelo pijama que ele usava.
Do córrego até o Rio Pardo são mais de 130 km de distância. De acordo com a polícia, a forte correnteza da chuva que caiu nos três dias depois do desaparecimento do menino arrastou o corpo dele.
A última vez que a criança foi vista ela estava dentro do próprio quarto na casa onde mora com a família. A suspeita é que o padrasto do garoto, Guilherme Longo, tenha envolvimento com o desaparecimento. Ele é usuário de drogas. O homem contou à polícia que saiu de madrugada para comprar droga e, quando voltou, o garoto ainda estava na casa.
A justiça decretou a prisão temporária de 30 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período, do padrasto e da mãe neste domingo (10). Os dois estão nesta noite detidos no plantão policial de Ribeirão Preto. 
Protestos
Revoltados, assim que o corpo foi encontrado, moradores tomaram a rua em frente a casa onde Guilherme estava e protestaram. O quarteirão chegou a ser isolado e foi preciso reforço policial.
Na chegada da mãe de Joaquim a delegacia, teve confusão e o prédio chegou a ser invadido pelos moradores. Segundo o delegado—diretor do Deinter-3 ( Departamento de Polícia Judiciária do Interior), João Osinski Junior, alguns vidros do local foram quebrados por manifestantes.
— Quebraram os vidros da delegacia e foram contidos. A policia está tomando todas as providencias devidas. 
Somente a mãe e o padrasto do menino estavam na casa na noite anterior ao desaparecimento. O garoto tinha diabetes e dependia da aplicação de insulina. 
Veja o vídeo abaixo:
  • Espalhe por aí:
  •      
  •